Chevrolet Opala Diplomata

Em 1980, chega ao mercado a versão top de linha do famoso Opala. O modelo vinha com alguns itens de luxo, que deveriam ter equipado todos os veículos da linha Diplomata. Entre os itens estavam ar-condicionado, direção hidráulica, um rádio que tocava fitas. O veículo ainda contava com as versões cupê e sedã.

O seu motor era o 151-S de quatro cilindros, 2.4 litros de 98 cavalos de potência, ou o seis cilindros de 4.1 litros de 148 cv ou o 250-S capaz de gerar incríveis 171 cavalos de potência.

No ano de 1981, o Opala Diplomata da Chevrolet passou por uma reestilização, mas isto atingiu apenas a parte interna do veículo. Com isso, ele acabou ganhando um novo painel de instrumentos, que na época agradou a todos os clientes da marca.

Chevrolet Opala Diplomata

Chevrolet Opala Diplomata

Mas o seu novo painel era apenas um dos grandes destaques, pois ele também sofreu outras mudanças, como o ar-condicionado para motorista e passageiros. O que no perído era um grande diferencial, fazendo do modelo um dos veículos de luxo mais famosos.

Já em 1985, o Opala ganhou mais itens interessantes, como a antena, vidros, travas e retrovisores elétricos, porta-malas com acionamento elétrico e muitos outros itens, que faziam do Opala Diplomata um dos mais luxuosos da linha da GM brasileira.

Em 1992 o carro teve sua produção encerrada, mas antes disso ele ainda ganhou uma série especial limitada em 100 unidades. Era o Opala Diplomata Collectors, que só podia ser encontrado nas cores Azul Millos, Preto Memphis e Vermelho Ciprius. Essa versão limitada, vinha de fábrica com câmbio automático e chaves banhadas a ouro.

Deixe sua opinião