Motoboy precisa mudar a CNH

Hoje em dia, se você quiser, se tornar um motoboy, deve se lembrar, de que, não são apenas o protetor de perna(mata-cachorro), antena corta linha, capacete e baú com faixa(ou mochila ou bolsão) na moto, que serão obrigatórios. Os Motoboys devem também ir ao Detran, e solicitar uma pequena alteração em sua Carteira nacional de Habilitação(CNH). Isso mesmo! A nova Legislação de 2011, exige que todos que trablham com sua Carteira tenham a a seguinte anotação: Exerce Trabalho Remunerado. Para fazer esta alteração em sua habilitação, é muito simples, basta apenas que o condutor se dirija ao Detran, e solicite uma guia para um novo exame psicotécnico. Não deixe para última hora. É bom se apressar, e fazer logo essa alteração obrigatória, em sua carteira, pois a qualquer momento a PMMG, pode começar com as fiscalizações e as notificações. Ainda neste mês, as entidades defensoras dos motocilcistas, deverão se reunir com o comando do BPTran, para para tratar sobre a fiscalização de CNH  e de equipamentos. Alguns dos equipamentos de segurança, serão obrigatórios, somente a partir de Agosto(Resolução 356 do Contran), outros como baú legalizado, é para ontem. Fiquem atento para que não percam o dia de trabalho, e para que não tenham gastos desnecessários.

Moto taxista legalizado

Moto Taxi

Mototaxi

Se você ainda não é Motoboy, e deseja se tornar um, deverá saber da existência de uma série de requisitos para se exercer, legalmente, o serviço de motofretista.

O primeiro deles é a realização do Curso Especial de Treinamento e Orientação, ministrado em Centro de Formação de Condutores credenciados ao Departamento de Transportes Públicos. O objetivo do curso é atualizar conhecimentos das normas de trânsito e da atividade profissional dos motoboys, além de ensinar técnicas de direção defensiva, primeiros socorros e princípios de relações humanas. A “escolinha” tem duração de dez horas, mas só pode ser feita pelo motociclista que estiver em dia com sua Carteira Nacional de Habilitação(CNH). Aqueles que estoraram o limite de 20 pontos no prontuário de multas do Detran não serão liberados para se inscrever no curso.

No ato da matrícula, são exigidos os seguintes documentos:

– CNH, categoria A, expedida há pelo menos um ano;

– Certidão de Prontuário do condutor para fins de Direito expedido pelo Detran (original);

– Certidão de Distribuição Criminal na Comarca da Capital (original);

– Certidão da Vara de Execuções Criminais na Comarca da Capital – DECRIM (original);

– Certidão de Distribuição e Execução Criminal junto a Justiça Federal (original);

– Duas fotos 2×2;

– Declaração ou comprovante de residência na cidade de São Paulo.

Completado este estágio, os futuros motofretistas receberão o Condumoto (Cadastro Municipal de Condutores de Motofrete), cuja validade pode ser de três anos ou então expirada juntamente com o término do prazo de vigência da CNH, caso esse venha a ocorrer antes. A renovação deve ser feita em, no máximo, 30 dias após o vencimento, sob pena de cancelamento.

Mas não é somente o motoboy que precisa estar adequado aos moldes previstos pela legislação. A moto, claro, também passa por um processo de cadastramento, feito pela Secretaria Municipal de Transportes.

A máquina tem de ser original de fábrica, ter o mínimo de 120 cilindradas e o máximo de oito anos de uso. Além disso, deve estar identificada como veículo de carga, licenciada com a placa vermelha do Detran e equipada com alguns itens de segurança, como antena para proteção contra linhas de cerol, fios e cabos aéreos e protetor para as pernas (mata-cachorro). Cabe às empresas operadoras de motofrete, contudo, garantir a instalação desses equipamentos.

Outra exigência está relacionada ao baú, também obrigatório. O compartimento deverá ter no máximo 70 cm de altura e 45 cm de largura e faixa reflexiva. A parte traseira precisa ser identificada com o número do Condumoto do proprietário, nome e telefone da empresa do trabalhador. A mochila deve estar sempre dentro do baú.

Se alguém se perguntou sobre a obrigatoriedade do uso do colete, fica aqui a confirmação positiva desta dúvida. Item de segurança indispensável, ele tem de trazer a inscrição Motofrete na frente e o número do Condumoto aplicado na frente e atrás, além da faixa reflexiva, nome e telefone da empresa.

Após todos esses passos, fundamentais para a regulamentação do serviço, o motociclista enfim pode se dizer um motoboy, um motofretista que respeita a si e a categoria a qual pertence.

0 comentários para “Motoboy precisa mudar a CNH”

  1. Maria De Lourdes Lourdes disse em 02/02/2013 às 12:21:

    Passou a anos da hora de fazer esses profissionais se adaptarem as regras e tirar de circulação os que disfarçam atividades criminosas.

Deixe sua opinião